Intrínseca

[Resenha] A garota que eu quero

sexta-feira, janeiro 31, 2014

A garota que eu quero, de Markus Zusak, publicado pela Intrínseca, com 174 páginas.


"A gente pode fazer qualquer coisa quando não é real."


Cameron Wolfe tem fome. Cansou-se de ser um maldito perdedor, deplorável, meio risonho e meio carrancudo, sempre tentando impressionar. Ele finalmente conheceu uma garota, e seu espírito foi inundado por palavras. Agora Cameron está determinado a provar que não há nada mais belo que um perdedor disposto a lutar.


Cameron, inesperadamente, se apaixona pela atual namorada de Rube, seu irmão do meio. Os dois não são nada parecidos um com o outro: Cam é quieto, discreto, o caçula, enquanto Rube é charmoso e seguro de si, e nunca fica com uma garota por mais de duas semanas. Cam sabe que seu amor não é correspondido. Afinal, quem se apaixonaria por um perdedor como ele?
Octavia - a garota que Cameron quer - sabe que o caçula da família Wolfe é muito mais interessante do que ele mesmo pensa. E nem sabe que está prestes a mudar a vida dele e, consequentemente, a de todos à sua volta.

Devo dizer que esse foi um dos livros mais fofos que já li. Narrado em primeira pessoa, A garota que eu quero é uma história sobre o primeiro amor de um garoto que vive em conflito com si mesmo, e que vive a sós com suas palavras em seu próprio mundo. Cam irá mostrar aos leitores que todos são vencedores, cada qual à sua maneira. 

Recomendo o livro à todos que buscam uma história fofa e inspiradora.
LEIA MAIS... »

Arqueiro

[Resenha] Anjos e Demônios

quarta-feira, janeiro 29, 2014

Anjos e Demônios, de Dan Brown, publicado pela editora Arqueiro, com 474 páginas.

"Havia muitas perguntas e, no entanto, as respostas pareciam provocar apenas perguntas mais profundas."



Às vésperas do conclave que vai eleger o nono Papa, Robert Langdon é chamado às pressas para analisar um misterioso símbolo marcado a fogo no peito de um físico assassinado em um grande centro de pesquisas na Suíça.
Ele descobre indícios de algo inimaginável: a assinatura macabra no corpo corpo da vítima - um ambigrama - é dos Illuminati, uma poderosa fraternidade considerada extinta há 400 anos.
A antiga sociedade ressurgiu disposta a levar a cabo a lendária vingança contra a Igreja Católica, seu inimigo mais odiado. De posse de uma nova arma devastadora, roubada do centro de pesquisas, ela ameaça explodir a Cidade do Vaticano e matar os quatro cardeais mais cotados para a sucessão papal.
Correndo contra o tempo, Langdon voa para Roma junto com Vittoria Vetra, uma bela cientista italiana. Numa caçada frenética por criptas, igrejas e catedrais, os dois desvendam enigmas e seguem uma trilha que pode levar ao covil dos Illuminati - um refúgio secreto onde está a única esperança de salvação da Igreja nesta guerra entre ciência e religião.




Sou um pouco suspeita para falar de um livro escrito por Dan Brown - sou mega fã do autor - mas isso não importa.
Pessoalmente, achei a história surreal demais, mas isso não a comprometeu em nenhum momento, muito pelo contrário. Anjos e Demônios é cheio de ação e mistério, o que faz com que você não sinta vontade de parar de ler. Como todo bom suspense, você fica ansioso até a última página, porque é só no final que tudo se esclarece, e o desfecho é de deixar qualquer um boquiaberto.
E pra quem já assistiu o filme e não quer ler o livro porque "é grande e eu já sei como termina": o final do filme não tem nada a ver com o do livro (minha opinião), e além do mais, muita coisa teve que ser modificada na adaptação cinematográfica porque realmente não tinha como fazer algumas cenas sem as explicações que o autor dá nos livros... Porque senão o telespectador que não tivesse lido a obra escrita ia ficar (muito) confuso.

Mas enfim... O livro é repleto de surpresas, e tem tudo para tirar seu sono e se tornar um de seus preferidos. Super recomendado.
LEIA MAIS... »

Natália

[Resenha] A teoria de tudo

terça-feira, janeiro 28, 2014

A teoria de tudo, de J. J. Johnson, publicado pela editora Nossa Cultura, com 340 páginas.

 

"De alguma forma. Nós todos estamos ligados"



Mesmo que todo mundo pense que você tenha superado um problema não significa que isso, na realidade, já aconteceu. Ano passado, Jamie, a melhor amiga de Sarah, morreu devido a um terrível acidente. Naquela ocasião todos se entristeceram; agora consideram que é melhor Sarah esquecer o que se passou e seguir em frente.
Mas Sarah não segue em frente porque não consegue deixar de reviver o que aconteceu. Ainda se debate com o sentimento de culpa. Questiona o sentido da vida. E sente falta da melhor amiga. Suas notas estão despencando, os relacionamentos se desfazendo e seu jeito normal de se expressar agora tem um tom sarcástico.

Num último esforço de resolver a situação, Sarah torna-se amiga do irmão gêmeo de Jamie, Emmett, talvez a única pessoa que a compreende. Quando começa a trabalhar para um sujeito excêntrico, Sarah afinal passa a entender quais são os cabos que nos conectam, a perceber o benefício de dar às pessoas uma chance, e o poder do amor.


Depois que o comprei e comecei a ler as primeiras páginas, não consegui mais parar. Divertido, narra a história de Sarah, uma garota que se sente culpada pela morte da melhor amiga. Narrado em primeira pessoa, nos faz sentir na pele de Sarah, e vivenciar cada momento juntinho, e sentir todas suas dores e preocupações.
"A teoria de tudo" é um livro engraçado, cheio de sarcasmos e ironias, surpresas e coincidências que se revelam ao desenrolar da história. 
Além do conteúdo, cada capítulo inicia com um gráfico diferente e inusitado, e as marcações das páginas são muito fofas! (foto ao lado). Outro fato que chamou minha atenção para esse livro, é que existem três cores diferentes pra capa! Isso mesmo! Três livros com o mesmo conteúdo porém capas diferentes! Uma é rosa, a outra lilás, e a outra, verde-água. Por mim, eu compraria as três, pois uma é mais linda que a outra!                                  A diagramação também é boa. As páginas são amareladas, com uma letra boa, e um cheirinho de livro maravilhoso. <3
Quando o livro acaba, dá um gostinho de quero mais, mas mesmo assim a história é maravilhosa e recomendo à todos.
LEIA MAIS... »

Intrínseca

[Resenha] Perdão, Leonard Peacock

segunda-feira, janeiro 27, 2014

Perdão, Leonard Peacock, de Matthew Quick, publicado pela editora Intrínseca com 223 páginas.



"A chave é fazer algo que marque você para sempre na memória das pessoas comuns. Algo que importe."


Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele vai assassinar o ex-melhor amigo e depois se matar usando a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich.
Talvez no futuro ele conseguisse acreditar que ser diferente é bom, até importante.
Mas não hoje.


Adorei a história (em parte). Mas, sinceramente, achei que o autor "encheu linguiça" em várias partes. Deu a impressão de que a história seria, a princípio, bem curta, mas que o autor queria que o livro tivesse pelo menos 200 páginas, e enrolou pra que isso acontecesse. Apesar disso, posso dizer que a trama foi muito bem bolada; os personagens muito bem desenvolvidos; e a escrita de Matthew Quick possibilitou uma leitura rápida, além de nos fazer vivenciar literalmente a vida de Leonard, devido à escrita em primeira pessoa. Indico o livro à todas as pessoas que gostam de um suspense simples e pra quem busca um livro apenas para passar o tempo.
LEIA MAIS... »

Intrínseca

[Resenha] Como eu era antes de você

sexta-feira, janeiro 24, 2014

Como eu era antes de você, de Jojo Moyes, publicado pela editora Intrínseca, com 318 páginas.


"Você só vive uma vez. É sua obrigação aproveitar a vida da melhor forma possível."


Lou clark sabe uma porção de coisas.
Ela sabe quantos passos separam sua casa do ponto de ônibus. Sabe que adora trabalhar como atendente em um café e sabe que provavelmente não ama seu namorado, Patrick.
O que Lou não sabe é que está prestes a perder o emprego, e que isso a obrigará a repensar toda sua vida.
Will Traynor, por sua vez, sabe que o acidente com a motocicleta tirou dele a vontade de viver.
Ele sabe que o mundo agora parece ser pequeno e sem graça, e sabe exatamente como vai dar um fim a tudo isso.
O que Will não sabe é que a chegada de Lou vai trazer de volta a cor à sua vida. E nenhum deles desconfia de que esse encontro irá mudar para sempre a história dos dois.


Eu ainda não superei o final desse livro.
A autora escreve de um jeito tão doce, e tão divertido, que é impossível não se apaixonar por Lou e Will. A história é contada do ponto de vista de Lou, mas há alguns capítulos em que outros personagens narram, o que eu achei bem interessante.
É simplesmente linda a maneira com que Lou e Will se tornam amigos. Dá vontade de entrar no livro e falar "posso ser amiga de vocês também???", hehe. Não demora muito e você já está torcendo para os dois se casarem, ter filhos e serem felizes para sempre. Entretanto, coisas diferentes começam a acontecer, fatos começam a ser revelados e o desfecho é surpreendentemente emocionante, de deixar qualquer um chorando por semanas (assim como eu).

Devo dizer que Como eu era antes de você se tornou um dos meus livros preferidos, e o indico a todos os leitores que gostam de histórias divertidas e românticas.
LEIA MAIS... »

Agir

[Resenha] O Pequeno Príncipe

quarta-feira, janeiro 22, 2014

 O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry, publicado pela editor Agir com 93 páginas.


“É loucura jogar fora todas as chances de ser feliz porque uma tentativa não deu certo.”


Livro de criança? Com certeza.
Livro de adulto também, pois todo homem traz dentro de si o menino que foi.
Como explicar a adoção deste livros por povos tão variados, em tantos países de todos os continentes? Como explicar que ele seja lido sempre por tantos milhões e milhões de pessoas? Como explicar a atualidade deste livro traduzido em oitenta línguas diferentes?
Como compreender que uma história aparentemente tão ingênua seja comovente para tantas pessoas?
O Pequeno Príncipe devolve a cada um o mistério da infância. De repente retornam os sonhos. Reaparece a lembrança de questionamentos, desvelam-se as incoerências acomodadas, quase já imperceptíveis na pressa do dia-a-dia. Voltam ao coração escondidas recordações. O reencontro, o homem-menino.



Esse foi o primeiro livro que ganhei de minha mãe, e sou completamente apaixonada por ele! É rápido e fácil de ler, e sua história tem o poder de emocionar jovens e adultos. O Pequeno Príncipe é intrigante, comovente e, acima de tudo, encantador. Não é à toa que esse é o único livro que eu releio constantemente (não tenho esse costume, mas há essa exceção).
Muitos dizem que a história é confusa, mas depende do ponto de vista. Eu, por exemplo, acho que ela é bem clara em relação às lições que ela passa e tudo o mais.
Mas enfim: todas as pessoas deveriam ler esse livro pelo menos uma vez na vida. Compre um exemplar pra você, sua mãe, seu avô, e pra toda as pessoas que você conhece (caso você ostente dinheiro), porque vale a pena. É maravilhoso.


"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas."
LEIA MAIS... »

Natália

[Resenha] Belo Desastre

segunda-feira, janeiro 20, 2014

Belo Desastre, da autora Jamie McGuire, publicado pela editora Verus, com 389 páginas.


 

"Eu sabia, no segundo em que te conheci, que havia algo em você que eu precisava. Acabou que não era algo em você. Era simplesmente você."


Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa. Abby acredita que seu passado sombrio está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com America, sua melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade. 
Travis Maddox, com seu abdômen definido e seus braços tatuados, é exatamente o que Abby precisa - e deseja - evitar. Ele passa as noites ganhando dinheiro em um clube da luta e os dias seduzindo as garotas da faculdade.
Intrigado com a resistência de Abby ao seu charme, Travis a atrai com uma aposta. Se ele perder terá que ficar sem sexo por um mês. Se ela perder, deverá morar no apartamento dele pelo mesmo período. Qualquer que seja o resultado da aposta, Travis nem imagina que encontrou um adversário à altura. E é então que eles se envolvem em uma relação intensa e conturbada, que pode acabar levando-os à loucura.


O best-seller de Jamie McGuire conquista a todos que gostam de um romance complicado, meloso e ao mesmo tempo fofo. 
Travis Maddox, o garanhão da faculdade, e ganhador de lutas, conhecido também como Travis "Cachorro Louco" Maddox, seduz e faz sexo com a maioria das garotas da faculdade. Mas quando Travis conhece Abby, e ela não cai na dele, ele fica intrigado, e resolve fazer uma aposta. Essa aposta, gera uma imensa confusão. Abby e Travis começam assim, uma relação muito complicada e forte.
Abby, às vezes, irrita, porque ela não vê o que está na frente dela, e não se liga no que está causando! E Travis... ah, Travis. Mesmo tendo uma aparência rude e forte, tem um coração mole. 
Tirando as partes sexys, e as partes que envolvem relações sexuais (que podem desagradar alguns gostos), é um livro incrível. Meigo. Dá vontade de entrar dentro e fazer óbvio acontecer.
McGuire escreve de um jeito magnífico. Ela escreve de um jeito que cativa. 
Narrado pela Abby, não tem como não se apaixonar pelo Travis, e nem como não odiar a Abby quando ela é boba, mas o desastre entre eles é belo, e todo mundo gosta.
LEIA MAIS... »

Maria

[Resenha] A improvável jornada de Harold Fry

domingo, janeiro 19, 2014

A improvável jornada de Harold Fry, de Rachel Joyce, publicado pela editora Suma das Letras, com 243 páginas.


"A gente tem que acreditar. (...) Se a gente tem fé, pode fazer qualquer coisa".


Quando Harold Fry saiu de casa numa manhã de sol para colocar uma carta no correio, ele não imaginava que estava começando uma jornada inesperada até o outro lado da Inglaterra. O senhor aposentado decidiu de repente que ia caminhar até a casa de saúde onde uma velha amiga sofria o estágio terminal do câncer.
Harold não leva mapa, bússola, capa de chuva ou celular. Nem mesmo um sapato adequado. Tudo que ele tem é a certeza de que precisa continuar andando. Para salvar uma vida.


Confesso que no início achei o livro maçante, sem nenhum acontecimento que chamasse minha atenção e que me prendesse à história, mas no decorrer da leitura eu ia me surpreendendo cada vez mais com Harold e outros personagens - mesmo que passageiros.
Mais ou menos na metade do livro começam a acontecer coisas que, sem dúvidas, você não espera que aconteçam. E algo que antes não parecia ser nada além de uma coisa simples, se revela um fato que te deixa triste e principalmente surpreso. Aliás, tá aí algo que a Rachel Joyce soube fazer certinho: revelações inesperadas.
Quando cheguei ao fim do livro, as emoções que senti durante a leitura foram tantas que nem me recordava mais de ter criticado a história antecipadamente. E preciso dizer que A improvável jornada de Harold Fry se tornou um dos meus livros preferidos.

Recomendo à todos os amantes de histórias emocionantes, e devo acrescentar: nunca julgue um livro sem antes lê-lo por completo!
LEIA MAIS... »

Arqueiro

[Resenha] Eu sei o que você está pensando

sábado, janeiro 18, 2014

Eu sei o que você está pensando, de John Verdon, publicado pela editora Arqueiro com 340 páginas.

 

"O objetivo da vida é ficarmos o mais próximo possível de outras pessoas - uma vida isolada é uma vida desperdiçada".



Um homem recebe pelo correio uma carta provocadora que termina da seguinte forma: "Se alguém lhe dissesse para pensar em um número, sei em que número você pensaria. Não acredita? Vou provar. Pense em qualquer número de um a mil. Agora veja como conheço seus segredos."
O destinatário, Mark Mellery, pensa no número 658 e, ao abrir um envelope que acompanha a mensagem, descobre que o autor da carta previu corretamente o número que ele acabara de escolher de modo aleatório. Como isso seria possível?
Desesperado com os bilhetes ameaçadores que seguem a carta, Mark, um guru da autoajuda, procura um velho colega de faculdade, o brilhante detetive David Gurney, recentemente aposentado do departamento de polícia de NY.
Aos 47 anos, 25 deles dedicados a desvendar terríveis casos de homicídio, Dave acaba de se mudar com a esposa Madeleine, para uma fazenda no interior do estado e tenta se adaptar a um novo estilo de vida. Mas sua mente, extremamente lógica, é fisgada pelo quebra-cabeça apresentado por Mellery.
O "superdetetive", apelido que ganhou da imprensa no auge da carreira, percebe que encontrou um vilão à sua altura quando as estranhas ameaças terminam em morte. Tudo leva a crer que o assassino, além de clarividente, cometeu um crime impossível, deixando pistas sem sentido e desaparecendo no meio do nada.
Consumido pelo desafio de encontrar uma resposta lógica para o caso, Dave aceita trabalhar como consultor na investigação, colocando em risco seu já debilitado casamento e até mesmo sua vida.


Eu a-m-e-i o livro! John Verdon foi sensacional em seu livro de estreia, conseguiu me prender do início ao fim. A história é cheia de mistérios, capaz de tirar o sono de qualquer um. O autor dá espaço ao leitor para tentar desvendar os mistérios da trama, os motivos das mortes e a identidade do assassino, e isso proporciona uma leitura cheia de suspense e adrenalina.
Acho que todos deveriam ler esse livro algum dia. É realmente ótimo, te prende à leitura com enorme facilidade, e faz você querer devorar cada página como se fosse seu prato de comida favorito.
O enredo me lembrou os livros de Agatha Christie, sensacionais e surpreendentes. É impossível descobrir o que te espera nas últimas páginas, e é isso que torna esse livro tão bom e genial.

Recomendo o livro à todos os fãs de histórias que tiram o fôlego.
LEIA MAIS... »

Natália

[Resenha] Quem é você, Alasca?

sexta-feira, janeiro 17, 2014

Quem é você, Alasca? do autor John Green, publicado pela editora WMF Martins Fontes, com 229 páginas.




"Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em quanto será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente".

Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras - e está cansado de sua vidinha segura e sem graça em casa. Assim, vai para uma nova escola à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o "Grande Talvez". Muita coisa o aguardava em Culver Creek, inclusive Alasca Young. Inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, Alasca levará Miles para seu labirinto e o catapultará em direção ao "Grande Talvez".


Pelo que me parece, esse livro é a estréia do nosso querido e renomado autor John Green. A maioria de seu público, prefere "A culpa é das estrelas" por ser um romance incrível (o que realmente é, mas não é o caso agora) mas "Quem é você, Alasca?" simplesmente vence em melhor livro do Green. Esse livro relata sobre como uma vida tem impacto sobre a outra, é um livro que faz pensar, e até rir no final. No início, parece ser meio tedioso, chatinho, mas com o passar das páginas, enquanto você conhece Alasca e Miles e todo o resto, esse livro se torna magnífico. Green reserva o melhor para o final. E nos laça com seu jeito de escrever.
John Green me surpreendeu com esse livro, ele é impactante, nos faz pensar sobre tudo ao nosso redor. Ele fala da vida, da morte, de religião e tudo mais. É esplendido. Realmente recomendo à todos que querem algo profundo e brilhante, e espero que todos leiam esse livro antes de morrer.


Outra edição de "Quem é você, Alasca?"
"Buda diz que o sofrimento é causado pelo desejo e que a suspensão do desejo implica a suspensão do sofrimento. Se pararmos de desejar quer as coisas perdurem, não iremos sofrer quando elas desmoronarem".

LEIA MAIS... »

Intrínseca

[Resenha] Extraordinário

quinta-feira, janeiro 16, 2014

Extraordinário, de R. J. Palacio, publicado pela editora Intrínseca, com 318 páginas.


“Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo.”


August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.


R. J. Palacio conseguiu reunir todos os itens necessários para uma boa leitura em um único livro, e é impossível não se apaixonar pela história. Além da escrita do livro ser simples - o que proporciona uma leitura fácil e rápida - os personagens possuem o poder de comover o leitor e fazê-lo refletir sobre suas ações.
Fiquei encantada pelo Auggie logo no primeiro capítulo. O livro mostra as dificuldades que uma criança tem em encontrar uma "turma", e como isso fica ainda mais difícil se ela for, como muitos chamam, "diferente". Mas, afinal, o que é ser diferente?

Fofo, divertido e comovente, Extraordinário faz jus ao título e tenho prazer de recomendá-lo para todos os leitores que buscam um livro incrível.
LEIA MAIS... »

Natália

[Resenha] Anna e o Beijo Francês

quinta-feira, janeiro 16, 2014

Bom, pra inaugurar bem o blog, vou fazer a primeira resenha e de um livro superfofo.
Anna e o Beijo Francês, da autora Stephanie Perkins, publicado pela editora Novo Conceito, com 288 páginas.

 "É possível que lar seja uma pessoa e não um lugar?"



“Isto é tudo o que sei sobre a França: Madeline, Amélie e Moulin Rouge. A Torre Eiffel e o Arco do Triunfo também, embora eu não saiba qual a verdadeira função de nenhum dos dois. Napoleão, Maria Antonieta e vários reis chamados Louis. Também não estou certa do que eles fizeram, mas acho que tem alguma coisa a ver com a Revolução Francesa, que tem algo a ver com o Dia da Bastilha. O museu de arte chama-se Louvre, tem o formato de uma pirâmide, e a Mona Lisa vive lá junto com a estátua da mulher sem braços. E tem cafés e bistrôs — ou qualquer nome que eles dão a estes — em cada esquina... Não é que eu seja ingrata, quero dizer, é Paris. A Cidade Luz! A cidade mais romântica do mundo.” Anna Oliphant não está nada entusiasmada com a ideia de se mudar para Paris, já que seu pai, um famoso escritor norte-americano, decidiu enviá-la para um colégio interno na Cidade Luz. Anna prefere ficar em Atlanta, onde tem um bom emprego, uma melhor amiga fiel e um namoro prestes a acontecer. Mas, ao chegar a Paris, Anna conhece Étienne St. Clair, um rapaz inteligente, charmoso e bonito. Só que Etiénne, além de tudo, tem uma namorada... Anna e Etiénne se aproximam e as coisas ficam mais complicadas. Será que um ano inteiro de desencontros em Paris terminará com o esperado beijo francês?


Anna e o Beijo Francês é o romance de estréia de Perkins, e sua escrita é suave e muito boa. O livro é em primeira pessoa, o que nos dá maiores proporções sobre os sentimentos de Anna sobre mudar de país, cidade e mudar de vida também. 
Esse livro é um livro rápido e gostoso de ser lido, e a cada página virada, dá vontade de ler mais e mais e não parar nunca. As palavras são fáceis de entender, e a história também, e além de tudo é um livro divertido e fofo.

A história me encantou desde o início e superou minhas expectativas. Anna vai para a Cidade Luz, Cidade do Amor, e conhece um garoto lindo, fofo, romântico e divertido e não tem como não torcer para eles ficarem juntos. Eles descobrem uma grande afinidade, e se tornam melhores amigos, e aí complica tudo, porque St. Clair tem uma namorada. Isso deixa Anna meio triste, mas mesmo assim ela não deixa de se divertir com seus amigos, e ter aventuras que se desenrolam no decorrer da história. 

Recomendo esse romance para todos que querem um livro divertido, fácil e romântico.
LEIA MAIS... »

Accueil!

quarta-feira, janeiro 15, 2014

Olá! Meu nome é Natália, e eu vim aqui dar as boas vindas à vocês!
Eu e minha melhor amiga Maria decidimos criar um blog para postar sobre nosso maior amor: livros!
Nós somos as donas do Instagram Vida de Leitor e como lá não é muito bom de postar resenhas, aqui estamos nós!
Enfim, esperamos que vocês gostem daqui, e qualquer dúvida, sugestão, reclamações ou qualquer outra coisa, é só nos chamar pelo Instagram ou deixar sua opinião nos comentários.

Beijos!
LEIA MAIS... »