Cia das Letras

#Livros do Mês! - Maio

sábado, maio 31, 2014

Olá pessoal! Desculpem-me pelo sumiço, mas estou com a agenda um pouco lotada, aí não consigo encaixar um horário para postar aqui.
Vou tentar, todo último dia do mês, postar os livros que eu li no mês.
Então aqui estão os livros lidos em maio, na ordem, de cima pra baixo:


Abaixo postarei a sinopse de cada um, caso vocês se interessem por algum!

1. Eleanor & Park - Rainbow Rowell

Eleanor é a nova garota na cidade, e ela nunca se sentiu mais sozinha. Todas as roupas estranhas, cabelo ruivo caótico, e uma vida familiar cheia de problemas, ela não poderia ficar mais de fora nem se tentasse. Então ela senta no ônibus ao lado de Park. Calmo, cuidadoso e - aos olhos de Eleanor - impossivelmente legal, Park acredita que ficar fora do caminho é o melhor jeito de sobreviver ao colegial. Devagar e instantaneamente, através das conversas tarde da noite e uma grande pilha de fitas, Eleanor e Park se apaixonam. Eles se apaixonam do jeito que sempre é a primeira vez, quando se tem 16 anos, e não há nada e tudo a perder.   


 2. As Regras do Amor - Pamela Wells

As Regras do Amor Três términos de namoro. Quatro amigas. Vinte nove regras para enfrentar uma desilusão amorosa. Sydney, Raven, Kelly e Alexia são inseparáveis. Até que nas vésperas do Dia dos namorados, três das meninas compartilham o azar de serem dispensadas pelos seus respectivos amores. Drew – com seus belos olhos azuis – dá um fim no namoro de dois anos com Sydney. Raven não consegue escolher entre Caleb e Horace. Então, de uma hora para outra, acaba ficando sem ninguém. O seminamorado de Kelly, Will, tem planos para o Dia dos Namorados. Só que não com ela. Alexia nunca teve seu coração partido, mas isso é porque nunca teve um namorado. Quando os namoros de suas melhores amigas terminam, ela não pensa duas vezes em inventar um jeito de ajudar as amigas Qual melhor jeito de superar os corações partidos, se não seguir regrinhas simples? Com muito chocolate, festas do pijama e palavras de consolo, tudo parece estar indo muito bem. Enquanto redescobrem sua amizade, regras são quebradas. Mas em breve as meninas podem superar os corações partidos e começarem elas mesmas a partir corações.



3. Seis Coisas Impossíveis - Fiona Wood 

Seis Coisas Impossíveis - Um Choque de Realidade de Cada Vez, Por Favor! Dan Cereill levou um encontrão da vida: seu pai faliu, assumiu que é gay e separou-se de sua mãe, tudo de uma vez só. Enquanto isso, sua mãe recebeu de herança uma casa tombada pelo patrimônio histórico que cheira a xixi de cachorro, mas que não pode ser reformada... E, agora, Dan está vivendo em uma casa-relíquia que parece um chiqueiro, com uma mãe supertriste e sem conseguir falar com o pai — que ele ama muito. Suas únicas distrações são sua vizinha perfeita, Estelle, e uma lista de coisas impossíveis de fazer, como: 1. Beijar a garota. 2. Arrumar um emprego. 3. Dar uma animada na mãe. 4. Tentar não ser um nerd completo. 5. Falar com o pai quando ele liga. 6. Descobrir como ser bom e não sair abandonando os outros por aí... Mas impossível mesmo será: 1. Não torcer para que Dan supere seus problemas. 2. Não rir muito com os devaneios dele. 3. Não querer ter um cachorrinho como Howard. 4. Não desejar que a mãe de Dan encontre a felicidade. 5. Parar de ler este livro. 6. Não querer abraçar o livro depois de tê-lo terminado...


4. O Começo de Tudo - Robyn Schneider 

O Começo de Tudo O garoto de ouro Ezra Faulkner acredita que todo mundo tem uma tragédia esperando ali na esquina – um encontro fatal depois do qual tudo o que realmente importa vai acontecer. Sua tragédia particular esperou até que ele estivesse preparado para perder tudo de uma vez: em uma noite espetacular, um motorista imprudente acabou com a perna de Ezra, com sua carreira no esporte e com sua vida social. Depois que perdeu o favoritismo ao posto de rei do baile, Ezra agora almoça na mesa dos losers, onde conhece Cassidy Thorpe. Cassidy é diferente de qualquer pessoa que Ezra tenha encontrado antes – melancólica e com uma inteligência mordaz. Juntos, Ezra e Cassidy descobrem flash mobs, tesouros enterrados e um poodle que talvez seja a reencarnação do Grande Gatsby. À medida que Ezra mergulha nos novos estudos, nas novas amizades e no novo amor, aprende que algumas pessoas, assim como os livros, são difíceis de interpretar. Agora, ele precisa considerar: se uma tragédia já o atingiu, o que poderá acontecer se houver mais infortúnios?


5. Por Isso a Gente Acabou - Daniel Handler 

Por Isso a Gente Acabou Min Green e Ed Slaterton estudam na mesma escola e, depois de apenas algumas semanas de convívio intenso e apaixonado, acabam o namoro. Depois de sofrer muito, Min resolve, como marco da ruptura definitiva, entregar ao garoto uma caixa repleta de objetos significativos para o casal junto com uma carta falando sobre cada um desses objetos e do episódio que ele representou, sempre acrescentando, ao final, uma nova razão para o rompimento. Essa carta é o texto de Por isso a gente acabou, que é, assim, carregado de um tom informal e tragicômico - características da personagem - e traduz com um misto de simplicidade e profundidade a história de uma separação.


6. Lola e o Garoto da Casa ao Lado - Stephanie Perkins

Lola e o Garoto da Casa ao Lado - a Fórmula Perfeita Para a Paixão e o Humor A designer-revelação Lola Nolan não acredita em moda… ela acredita em trajes. Quanto mais expressiva for a roupa — mais brilhante, mais divertida, mais selvagem — melhor. Mas apesar de o estilo de Lola ser ultrajante, ela é uma filha e amiga dedicada com grandes planos para o futuro. E tudo está muito perfeito (até mesmo com seu namorado roqueiro gostoso) até os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, voltarem ao seu bairro. Quando Cricket — um inventor habilidoso — sai da sombra de sua irmã gêmea e volta para a vida de Lola, ela finalmente precisa conciliar uma vida de sentimentos pelo garoto da porta ao lado.


7. Belo Casamento - Jamie McGuire

Belo CasamentoA louca e viciante história de amor de Travis e Abby foi narrada por ela em Belo Desastre e por ele em Desastre Iminente. Como num conto de fadas moderno, sabemos que eles se casaram e foram felizes para sempre... mas quanto realmente conhecemos dessa história?
Por que Abby fez o pedido de casamento?
Que confidências eles trocaram antes da cerimônia?
Onde passaram a noite de núpcias?
Quem sabia que eles iam se casar e guardou segredo?
Todos os detalhes sobre o casamento de Travis e Abby eram secretos... até agora. Os fãs do casal mais quente da literatura terão todas as suas perguntas respondidas nesta história vertiginosa sobre o dia (e a noite...) do casamento de Travis e Abby — e o melhor, contada pelo ponto de vista dos dois!

Bom, é isso pessoal! Amei todos os livros lidos e relidos desse mês, e em breve postarei resenhas de alguns deles. Fiquem ligados! 
Beijos, Natália.
LEIA MAIS... »

Maria

Tag: Os 3 últimos

terça-feira, maio 27, 2014

Olá, leitores! Depois de muito tempo sem postar, vim trazer uma tag literária: Os 3 últimos, que é, basicamente, sobre as três últimas obras que eu li.
Bem... Os três últimos livros que eu tive tempo pra ler foi a trilogia de Veronica Roth, Divergente.


 

Sinopses:

Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas. Em Insurgente, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama - e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor. 

Convergente
A sociedade baseada em facções, na qual Tris Prior acreditara um dia, desmoronou – destruída pela violência e por disputas de poder, marcada pela perda e pela traição. No poderoso desfecho da trilogia Divergente, de Veronica Roth, a jovem será posta diante de novos desafios e mais uma vez obrigada a fazer escolhas que exigem coragem, fidelidade, sacrifício e amor. 


Caramba, eu A-M-E-I a trilogia. Ainda to meio depressiva por causa do desfecho de Convergente, mas já passa (ou não).
Acho que todos deveriam ler essa distopia algum dia. Mas é só uma opinião minha.


Indico a tag às minhas parceiras ItsBooksForever e Livros e Chantilly
Espero que tenham gostado, e até a próxima 
LEIA MAIS... »

Ática

Top 5: Capas mais bonitas da estante - Natália

sábado, maio 17, 2014

Olá pessoal! Hoje eu vou mostrar as cinco capas mais bonitas da minha estante Eu sei que não devemos julgar um livro pela capa, mas não tem como não adorar capas bonitas *-*


1- Eleanor & Park

Eleanor & ParkEleanor é a nova garota na cidade, e ela nunca se sentiu mais sozinha. Todas as roupas estranhas, cabelo ruivo caótico, e uma vida familiar cheia de problemas, ela não poderia ficar mais de fora nem se tentasse. Então ela senta no ônibus ao lado de Park. Calmo, cuidadoso e - aos olhos de Eleanor - impossivelmente legal, Park acredita que ficar fora do caminho é o melhor jeito de sobreviver ao colegial. Devagar e instantaneamente, através das conversas tarde da noite e uma grande pilha de fitas, Eleanor e Park se apaixonam. Eles se apaixonam do jeito que sempre é a primeira vez, quando se tem 16 anos, e não há nada e tudo a perder. Ambientado no ano escolar de 1986, Eleanor & Park é engraçado, triste, chocante e verdadeiro, uma viagem nostálgica para quem nunca esqueceu seu primeiro amor.








2- O Teorema Katherine

Após o mais recente e traumático pé na bunda, o Colin que só namora Katherines resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-garoto prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.


 3- Terra de Histórias

TERRA DE HISTÓRIAS - 1ª Edição Os irmãos gêmeos Alex e Conner estão vivendo os piores dias de suas vidas. Para tentar alegrá-los, no aniversário de 12 anos,  a avó os presenteia com o antigo livro de histórias que o pai costumava ler para eles, quando crianças, antes de dormir. E a magia volta a tomar conta da vida dos dois - de verdade! Assim como Alice chegou ao País das Maravilhas após cair num buraco do coelho, Alex e Conner são sugados pelo livro e vão parar dentro do mundo dos contos de fadas. Lá, descobrem o que aconteceu com os personagens após o "E foram felizes para sempre!". Cachinhos Dourados, por exemplo, é uma fugitiva, Chapeuzinho Vermelho tem seu próprio reino e Cinderela, agora rainha, está prestes a se tornar mãe. Mesmo em meio a tantas surpresas, os gêmeos não têm tempo a perder: precisam voltar para casa antes que o livro se feche e a mãe dê queixa do desaparecimento deles. Para que o Feitiço do Desejo se cumpra, Alex e Conner têm de desvendar as pistas deixadas em um diário. Eles só não podiam imaginar que mais alguém estava no rastro e faria de tudo para atravessar para o mundo real no lugar deles: a Rainha Diabólica.

Os 13 Porquês - Conforme a Nova Ortografia Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker - uma colega de classe e antiga paquera -, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.










5- Adeus, por enquanto

Adeus, Por Enquanto Graças ao software que Sam Elling, um divertido programador do MIT, desenvolve, torna-se possível conversar com projeções perfeitas de pessoas queridas que morreram. Assim, ele ajuda sua namorada a superar a perda recente da avó, mas não esperava que um dia fosse precisar se tornar usuário de seu próprio programa...












Então é isso gente, beijos! 
LEIA MAIS... »

Maria

Nova parceria!

quinta-feira, maio 15, 2014

Então galera, viemos anunciar nossa nova parceria, com a ItsBooksForever (uhul!)
Pra quem não conhece, ela tá começando a vida de blogueira agora, e também tem um instagram com fotos per-fei-tas!
Apesar de ter apenas duas semanas, já dá pra ver que o blog vai longe! Ela escreve muito bem, e tem muitos posts bom por lá (resenha, wishlist, entre outros).

Visitem-na, não irão se arrepender!




Tomara que tenham gostado da novidade, porque nós amamos 


Contato:
E-mail: Itsbooksforever@gmail.com
LEIA MAIS... »

Maria

[Resenha] Assassinato no Expresso do Oriente

quarta-feira, maio 14, 2014

Assassinato no Expresso do Oriente, de Agatha Christie, publicado pela editora Nova Fronteira, com 223 páginas.


"É tudo tão louco, que às vezes tenho a impressão de que tudo é muito simples… Mas é apenas uma das minhas pequenas ideias…"


Pouco depois da meia-noite, uma tempestade de neve para o Expresso do Oriente nos trilhos. O luxuoso trem está surpreendentemente cheio para essa época do ano. Mas, na manhã seguinte, há um passageiro a menos. Um americano é encontrado morto em sua cabine, com 12 facadas, e a porta estava trancada por dentro.

Pistas falsas são colocadas no caminho de Hercule Poirot para tentar mantê-lo fora de cena, mas, num dramático desenlace, ele apresenta não uma, mas duas soluções para o crime.



Não sei se é porque essa foi a primeira obra que eu li da autora, mas Assassinato no Expresso do Oriente é, sem dúvidas, o meu livro preferido da Agatha Christie. Quando eu o li, eu não sabia que as histórias da Rainha do Crime eram tão arrebatadoras e que prendiam o leitor do início ao fim, e quando a leitura acabou eu fiquei mega fascinada com o desfecho, com os personagens, com o enredo, com Poirot, enfim, com tudo. 
(Acho que foi depois disso que eu virei uma leitora assídua de livros de suspense e de assassinatos.)
Bem, em alguns momentos confesso que tive vontade de rasgar esse exemplar no meio de tão ansiosa que eu tava pra saber a solução do crime. Mas por sorte eu não tive coragem de fazer isso.
Enquanto você lê o livro, você se esquece de comer, beber, ir ao banheiro, respirar, etc. E até perde o sono. Mas pode acreditar: vale a pena. Essa é uma daquelas histórias que, quando termina, fica na sua cabeça por muito tempo, e você fica pensando "Caralho, que livro foda!!!" (perdoem-me)
Quem nunca leu Agatha Christie deve estar achando que eu to fazendo tempestade em copo d'água, mas quem já leu sabe do que eu to falando. A autora é tão boa que suas obras (escritas a 1 século atrás) ainda fazem a cabeça de muita gente por aí, inclusive a minha.

Muitos resenhistas, quando vão indicar uma leitura pra alguém, aconselham o leitor a "não ir com muita sede ao pote", pois ele pode acabar se decepcionando. Se você não curte muito livros de suspense, dou o mesmo conselho. Mas se você é daqueles que super amam e respiram esse tipo de história eu digo: Não importa o tamanho das expectativas que você tem ao começar a ler Assassinato no Expresso do Oriente, ele vai superá-las.

Enfim, é isso. Não tenho mais o que elogiar.

Só mais uma coisa:
Todos deveriam ler esse livro pelo menos uma vez na vida.
LEIA MAIS... »

Intrínseca

[Resenha] A Culpa é das Estrelas

segunda-feira, maio 12, 2014

Olá leiterossss! Hoje eu vim falar do tão livro mais quente do momento (bom se momento quer dizer do ano passado e deste ano). Demorei TANTO pra ler este livro porque eu sou hipocondríaca (uma pessoa que liga demais pra saúde) e quando eu leio livros que a personagem principal tem alguma doença muito séria eu me imagino no lugar da pessoa e começo a chorar (o que aconteceu comigo lendo TFIOS). Eu não conseguia ler sem passar mal então eu parei e ontem eu FINALMENTE terminei o livro e eu estou MUITO FELIZ.

Bem vindos à minha resenha de TFIOS, A Culpa é das Estrelas, de John Green, publicado pela editora Intrínseca, com 286 páginas.


Do lado esquerdo uma foto minha extremamente radiante (mesmo que não pareça) por ter terminado o livro, e à sua direita uma foto do livro super pomposo pronto pra ser fotografado e postado na minha resenha.


Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.


(Contém spoilers)
FINALMENTEEEEE! Tenho tanta coisa pra falar... Mas eu quero deixar essa resenha pequena.
Eu, como sempre digo, amo o John Green, leria até a lista do mercado dele pelo simples fato de ele ser uma pessoa maravilhosa. Eu assisto os videos dele e do irmão dele no YouTube e como pessoa, ele é incrível e extremamente culto.
Esse livro trata de uma jovem de 16 anos, Hazel, que por incrível que pareça, não é como as outras personagens de Green. Mesmo que todas as personagens dele passam por algo trágico, a Hazel ainda sim é esperançosa de sua maneira. Para muitos, ela é pessimista mas para mim a Hazel tem uma "chama" que só ela possui. 
O que me cativou foi a primeira página, o primeiro parágrafo, foi tudo pra baixo depois disso. O primeiro parágrafo explica tanta coisa do livro, explica quem é Hazel Grace e porque ela é o que ela é. Explica como uma pessoa que tem uma doença como ela se sente, explica também, que ela sabe que ela está desta forma mas ela gosta de ser assim. Explica que Hazel Grace é Hazel Grace.



"Faltando pouco tempo para eu completar meu décimo sétimo ano de vida minha mãe resolveu que eu estava deprimida, provavelmente porque quase nunca saía de casa, passava horas na cama, lia o mesmo livro várias vezes, raramente comia e dedicava grande parte do meu abundante tempo livre pensando na morte.
Eu me saturei deste parágrafo, desde ontem tenho lido ele umas 30 vezes, eu acho que não é porque ele explica quem é Hazel Grace, mas explica quem sou eu.
Hazel entra em um grupo de apoio para adolescentes depois disso e conhece o Gus, que na minha humilde opinião, é um dos meus personagens favoritos até hoje. O Gus é um cara tão otimista, tão maravilhoso, tão John Green. Ele tem sua mente feita e é tão perfeita a forma que ele vê o mundo. Tão doce.
O amor que ele e a Hazel compartilham é tão delicado, tão fofo, tão impecável, que eu ficava me imaginando no lugar da Hazel e eu percebi que um amor assim nunca será acessível pra mim. Acho que nunca existirá um amor como o de Hazel e Gus. Só o meu amor pelo Green. (HEHEHEHEHEHE)
 Eu acho que se não fosse pelo Gus, a Hazel não teria se tornado ainda mais Hazel. Ela não se sentiria tão bem quanto ela se sente, porque ele completa ela de uma forma que só eles podem explicar mas eles são FICTÍCIOS. 
O capítulo em que a Hazel descobre que o Gus morre é o mais feliz para mim, é quando Hazel se liberta e mesmo com muita dor, ela ainda assim vê que tudo se realizou e ele está melhor.

Como eu disse, eu queria manter essa resenha pequena, e se eu continuar colocando coisas aqui ela vai ficar extremamente enorme.
Não existem números o suficiente para dar uma nota para este livro pois tem uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. Obviamente, se fosse para dar uma nota para este livro eu daria 100,99999999999... acho que esse infinito é maior que muitos outros.
Okay. 




LEIA MAIS... »

Natália

Tag: Isso ou aquilo

sábado, maio 10, 2014

Olá pessoal, dias atrás fui indicada pela It Books Forever (obrigada!) para fazer uma tag literária, com 14 perguntas sobre livros. Então vamos lá!


1- Áudio book ou livro?

Eu nunca ouvi um áudio book, mas prefiro a opção livro, pelo simples fato de ser um livro.

2- Capa dura ou capa mole?

Depende. Tenha vários livros de capa dura mas a maioria é capa mole. A capa dura realmente é mais charmosa, e protege mais o livro, mas há o risco das folhas se soltarem na hora de você abrir as capas para a leitura (isso já aconteceu comigo). E aí que entra a vantagem da capa mole: ela é mais maleável, mais flexível, as folhas não descolam; também há riscos como amassar e entortar, mas aí é do cuidado de cada um. Então nesse quesito sou dividida.

3- Ficção ou não ficção?

Gosto dos dois, mas acho que prefiro não ficção. Assim, eu consigo me imaginar dentro da história mais fácil, e as vezes até acredito que aquilo pode se tornar verdade, que aquilo pode acontecer comigo.

4- Fantasia ou vida real?

Prefiro fantasia, a vida real às vezes é muito cruel.

5- Harry Potter ou Crepúsculo? 

Já assisti todos os filmes das duas sagas, mas nunca li um livro de nenhuma das duas. Não posso então, julgar nem escolher qual é melhor que qual. Portanto fico com a opção Jogos Vorazes que é minha trilogia favorita

6- E-book ou livro físico?

Livro físico com 100% de certeza. Eu sei que muita gente prefere ler e-books por serem mais práticos e baratos, mas essa opção não se enquadra a mim. Prefiro mil vezes o livro físico para poder cheirar, abraçar, beijar, colocar na minha estante e carregar para qualquer lugar sem ter medo de ser roubada. Já tentei ler livros em pdf e não gostei, não consigo me concentrar, e também não tem aquele charme que conquista meu coração.

7- Comprar ou pegar emprestado?

Comprar. Eu costumava pegar livros emprestados até pegar um que eu AMEI e que não tinha comigo por perto. Passei dois anos procurando esse livro para comprar, porque quando você gosta da história, você quer o livro com você, para você ter a oportunidade de ler quando quiser. Ler livro emprestado é tipo ter um filho e dá-lo para a adoção, é tipo perder um braço ou um pedaço da alma, é tipo não ter um amor correspondido, é tipo... vocês entenderam.

8- Livros únicos ou séries?

Depende da história, do meu humor, da minha vontade e do meu dinheiro. A maioria que eu tenho é livro único, mas também tenho sagas e adoro.

9- Livraria física ou online?

Prefiro livraria física. É tipo entrar numa espécie de paraíso. Poder pegar todos os livros, cheirá-los, ver se não tem nenhum defeito é o melhor jeito de se comprar um livro, tirando o preço. Só compro online quando há promoções muito boas ou quando eu quero um livro que não tem na livraria.

10- Livro longo ou curto?

Sou mais livros curtos. Gosto também de livros grandes, mas livros curtos me prendem mais. Consigo ler mais histórias em menos tempo sem me esquecer de nenhum pedaço. De 400 páginas para frente já é um livro gigante pra mim.

11- Drama ou ação? 

Drama. Livros com ações são bons mas me deixam muito nervosa. Drama tem mais a ver comigo.

12- Ler no seu canto ou tomando sol?

Ler no meu canto é a melhor opção. Assim posso colocar uma roupa confortável, mesmo que seja feia, não preciso me arrumar, aí é só deitar, ler e relaxar.

13- Chocolate quente, chá ou café?

Nenhuma. Não curto bebidas quentes como chá e café (sim, eu já experimentei) e não posso beber chocolate quente. Minha única opção então é a água, que sacia minha sede e pelo menos não faz tanta meleca.

14- Ler resenha ou decidir por si?

Os dois. Acho que essas duas coisas andam meio juntas, e sempre me ajudam a escolher os melhores livros.


Bom, então é isso! Indico essa tag para minha parceira Livros e Chantilly, e para quem mais quiser fazer ela. Podem parecer perguntas fáceis de responder, mas na hora de decidir entre isso e aquilo... Boa sorte!
LEIA MAIS... »

Intrínseca

[Resenha] Os arquivos do Semideus

quinta-feira, maio 08, 2014

Percy Jackson e os Olimpianos: Os Arquivos do Semideus, de Rick Riordan, publicado peda editora Intrínseca, com 165 páginas.




Jovens Semideuses, preparem-se para ter acesso a arquivos altamente sigilosos. Compilado pelo escriba sênior do Acampamento Meio-Sangue, o sr. Rick Riordan, o conteúdo supersecreto aqui apresentado inclui os relatórios de três das mais perigosas aventuras de Percy Jackson, informações valiosas conseguidas em entrevistas com os mais importantes heróis da saga, um utilíssimo mapa do acampamento e muito, muito mais. Leiam e tornem-se especialistas no universo dos deuses e heróis do Olimpo.



Bem, esse não é um livro comum. E é justamente por isso que eu o adorei.
Os Arquivos do Semideus me surpreendeu com um conteúdo que eu não esperava, e eu acabei gostando tanto que terminei o livro em um dia.
A começar pelos contos: os 3 me surpreenderam muito, confesso que achei que seriam meio chatos por terem umas 30 páginas cada um, mas me enganei (novamente). Eles são tão bons quanto a saga original, digo pela escrita e pela elaboração e, por serem curtos, li rapidinho e fiquei com gosto de quero mais. Mas já superei isso. 
Outra coisa que a-m-o-d-o-r-e-i no livro foram as entrevistas. Ah, as entrevistas. Todas com aquele toque irônico insuperável do Tio Rick, e super engraçadas. E, já que é pra dar minha opinião, a que eu mais gostei foi a do Grover. O motivo? Não tem. A resposta é porque sim
Sem me esquecer dos jogos, eles são apenas dois: um caça-palavras e uma palavras-cruzadas. São sobre o universo de PJO, e fim. Não tem o que dizer sobre eles, tirando o fato de que eu ME SENTI UMA CRIANÇA FELIZ FAZENDO ELES PORQUE SÃO SUPER LEGAIS e é isso aí.

O livro tem um conteúdo mega diversificado, e pra não deixar a resenha muito longa, os únicos itens que me restam a comentar são:
  • A mala de Annabeth para o acampamento: Super simples, só que não. Quem já leu a série sabe que a filha de Atena nunca sai desprevenida, e o que ela leva na bagagem é apenas uma confirmação disso.
  • O mapa do Acampamento Meio-Sangue: To sem palavras cara, sensacional. É bem básico, mas eu amei, não sei porque.
E por último, mas não menos importante,
  • Os deuses olimpianos + 2: Fica praticamente na última página, e é uma lista com todos os Olimpianos e suas respectivas esferas de controle e representação. É bem interessante, e eu curti bastante. 
Como vocês puderam perceber, eu gostei de tudo, tudo mesmo, e não é só porque eu sou semideusa e completamente apaixonada por Percy Jackson. Na verdade, desconsiderem isso. O livro é bom mesmo, foge dos padrões e é super criativo. Se você não leu a saga, talvez não entenda muito bem Os Arquivos do Semideus, mas mesmo assim indico. Indico também a série original. E o spin-off. E tudo o que tem a ver com esse universo em questão. Bem, é isso, tchau.
LEIA MAIS... »

Intrínseca

[Resenha] O Teorema Katherine

terça-feira, maio 06, 2014

O Teorema Katherine, de John Green, publicado pela editora Intrínseca, com 304 páginas.




Após o mais recente e traumático pé na bunda, o Colin que só namora Katherines resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-garoto prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.



Eu li esse livro à milênios e peço desculpa de postar a resenha deste livro só agora, talvez tenha sido minha falta de compaixão ou ter tido compaixão demais.
Green, mais uma vez, detonando meus feelings.
Como vocês sabem, eu me chamo Khatherine, e lendo este livro (maioria das vezes) eu pensava que ele estava se referindo à mim, o que me deixou: 1) chocada 2) triste 3) ainda estou querendo saber o que estou sentindo. Tragédia. E como todo mundo sabe, o Green é conhecido por ser autor de obras, digamos assim, trágicas. 
Este livro é minha obra favorita do Green pois trata de um cara quase normal, a única anormalidade dele é que ele é atraído por Katherines (teve 19 namoradas chamadas Katherine), e todas elas quebraram o coração dele. 
O amor retratado no livro e a amizade que Colin compartilha com Hassan me deixaram meio Gwen (Gwen Stacy, morta, entendeu???) Na verdade, o que me fez ler o livro foi o Hassan, por causa das piadinhas com islamismo extremamente desnecessárias porém extremamente engraçadas.
Vamos falar do Hassan: ahhhh o Hassan!! Ele foi um dos personagens mais geniais que o Green já criou, extremamente sarcástico, irônico e engraçado, faz você perder a noção do tempo por ser quem ele é. Amodorei o Hassan... Hassan eu te amo.
No decorrer do livro, Colin tenta resolver um teorema que ele mesmo criou (devem ler o livro pra saber o que o teorema é sobre... Mesmo que é self explanatory) e é tão engraçado quando ele finalmente "acha" a resposta. Bom, pra mim foi.
Eu amei demais esse livro, recomendo à todo mundo, nota 11!


LEIA MAIS... »

Natália

[Resenha] Desastre Iminente

domingo, maio 04, 2014

Desastre Iminente, de Jamie McGuire, publicado pela editora Verus, com 405 páginas.

 

"Agora que acabou, eu gostaria de ter todas as coisas ruins de volta... só para ter as boas também".


Travis perdeu a mãe muito cedo, mas, antes de morrer, ela lhe ensinou duas regras de vida: ame muito, lute mais ainda.
Tendo crescido em uma família de homens que gostam de jogos e lutas, Travis Maddox é um cara durão. Musculoso e tatuado, bad boy até o último fim de cabelo, ele leva uma mulher diferente para casa a cada noite. Até conhecer Abby Abernathy...
Determinada a se manter longe de problemas, Abby resiste com todas as forças ao charme de Travis, sem saber que assim só o deixa mais determinado a conquistá-la.



Segundo livro de uma trilogia (o primeiro livro é Belo Desastre e o terceiro ainda não foi lançado), conta a história de Belo Desastre, porém narrado pela visão do Travis.
Abby Abernathy muda de cidade para fugir da sua vida antiga, mas encontra Travis, que basicamente a leva para a mesma vida de antes. Com uma aposta, eles começam um relacionamento difícil e complicado. Travis é um bad boy assumido, tatuado, musculoso, e que gosta de pegar todas. Até que conhece Abby e se apaixona.
Em Desastre Iminente, nós vemos como esse romance se desenrola pelos olhares e pensamentos de Travis Maddox. Isso nos faz odiá-lo porque às vezes ele age de uma forma irresponsável e irritante. E também nos faz amá-lo, porque ele é durão por fora, e derretido por dentro, o que conseguimos perceber nesse livro. McGuire conseguiu criar um romance meloso mas perfeito, onde tudo se completa. 
Muita gente diz que Belo Desastre é o irmão caçula de 50 tons de cinza, o que eu discordo totalmente. Nunca li 50 tons, mas sei a história e seus detalhes, e Belo Desastre não se parece muito. Dizem que 50 tons é um livro erótico, e Belo Desastre apesar de ter umas partes quentes, trata mais sobre o amor, e não sobre relações sexuais. Fala sim sobre isso, mas não tão abertamente e "toda hora" como 50 tons de cinza (não que eu esteja julgando, respeito quem gosta, só estou fazendo comparações para a melhor compreensão, pois muita gente deve julgar Belo Desastre por isso).
Mas enfim, apesar de todos os defeitos, Jamie McGuire escreve uma série maravilhosa e que todos deveriam ler, porque é simplesmente lindo.
LEIA MAIS... »

Ática

[Resenha] Os Treze Porquês

sexta-feira, maio 02, 2014

Os 13 porquês, de Jay Asher, publicado pela editora Ática, com 255 páginas.


 "E vocês - o resto - repararam nas cicatrizes que deixaram para trás? Não. provavelmente não. (...) Porque a maioria delas não pode ser vista a olho nu."


Para Clay Jensen, as fitas cassetes gravadas por Hannah Baker não têm nada a ver com ele. Hannah está morta. E seus segredos devem ser enterrados com ela. Só que a voz de Hannah diz a Clay que o nome dele está em uma das histórias dessa fitas - e que ele, de alguma maneira, é responsável pela sua morte. Tomado por espanto, angústia e muito medo, Clay permanece escutando as gravações madrugadas afora. Ele segue as palavras de Hannah pelas silenciosas ruas da cidade... e o que ele descobre, muda sua vida para sempre.



Esse livro é tão maravilhoso que eu nem sei por onde começar. Ele conta duas histórias simultaneamente (as duas narradas em primeira pessoa), a de Hannah, uma garota que cometeu suicídio, e do Clay, um garoto que amou Hannah. Antes de se matar, Hannah gravou algumas fitas cassetes dizendo os motivos de sua morte, o que envolvia treze pessoas, um motivo pra cada, e com seu próprio lado da fita (ou seja, sete fitas, quatorze lados, treze motivos, treze pessoas). E ela deu um jeito de essas fitas passarem de pessoa pra pessoa, até completar as treze, para que todas vissem como estavam envolvidas nisso.                         Além de tratar de um assunto que é forte, o suicídio, Jay Asher nos passa várias mensagens: ele nos mostra que nós só temos o agora, não podemos mudar o passado, e que de um jeito ou de outro, sempre interferimos na vida das outras pessoas. 
Essa história nos faz pensar, nos faz refletir, e para pessoas sentimentais (como eu), faz chorar. É um livro lindo e trágico, rápido, e ainda tem uma capa e detalhes fofos. Como as histórias de Hannah são gravadas em fitas cassetes, os detalhes nos meios das páginas e no início dos capítulos nos trazem ainda mais pra perto da história.
Acho que todos deveriam ler essa história, ela nos mostra o impacto de nossas ações. Ela cativa, ela prende, ela nos gruda e quando se está lendo, não dá vontade nem de parar para enxugar as lágrimas do rosto, mas vale a pena.
No final do livro (calma não é spoiler, é depois da história) há 13 perguntas ao autor Jay Asher, sobre a história e sobre o modo que ele elaborou essa obra memorável.
Recomendo à todos em geral. Principalmente àqueles que não entenderam minha resenha ou se sentiram curiosos. E pra quem leu, leia de novo! E pra quem não leu, leia. Simplesmente perfeito!

LEIA MAIS... »