Natália

Retrospectiva 2014

segunda-feira, dezembro 29, 2014

Olá pessoal, 2014 está acabando (uhul) e eu parei pra pensar como a minha coleção aumentou. E numa tarde de férias que eu não tinha nada pra fazer, resolvi separar todos que li. Aí aqui estou, para fazer uma "retrospectiva" do meu ano!

Nessa foto abaixo foram os lidos do ano, em ordem, da esquerda pra direita. No total li 51 livros, mas faltam três na foto.


Separei aqui por mês, e alguns tem resenha, caso queiram ver.

Janeiro:
A Última Música - Nicholas Sparks
A garota que eu quero - Markus Zusak
Faça seu pedido - Mandy Hubbard
Adeus, por enquanto - Laurie Frankel
A teoria de tudo - J. J. Johnson
As virgens suicidas - Jeffrey Eugenides
Snoopy, e sua turma - Charles M. Schulz
Snoopy, feliz dia dos namorados! - Charles M. Schulz

Fevereiro: 
O caçador de pipas - Khaled Hosseini
Lola e o garoto da casa ao lado - Stephanie Perkins
Divergente - Veronica Roth

Março:
Insurgente - Veronica Roth
Convergente - Veronica Roth
O livro das princesas - Meg Cabot, Paula Pimenta, Lauren Kate e Patricia Barboza
Iracema - José de Alencar
Deus é meu camarada - Cyril Massarotto
Beijada por um anjo #1 - Elizabeth Chandler
Beijada por um anjo #2 - Elizabeth Chandler
Beijada por um anjo #3 - Elizabeth Chandler
Beijada por um anjo #4 - Elizabeth Chandler
Beijada por um anjo #5 - Elizabeth Chandler
Beijada por um anjo #6 - Elizabeth Chandler

Abril: 
Sorte ou azar? - Meg Cabot
Morra por mim - Amy Plum

Eleanor & Park - Rainbow Rowell
As regras do amor - Pamela Wells
Seis coisas impossíveis - Fiona Wood
O começo de tudo - Robyn Schneider
Por isso a gente acabou - Daniel Handler
Lola e o garoto da casa ao lado - Stephanie Perkins
Belo Casamento - Jamie McGuire

Nick & Norah - Rachel Cohn e David Levithan
A Seleção - Kiera Cass
A Elite - Kiera Cass
A Escolha - Kiera Cass
Contos da Seleção - Kiera Cass

Querido John - Nicholas Sparks
Os sofrimentos do jovem Werther - Goethe
Os 13 porquês - Jay Asher
Amor é o que não é - Nailor Marques Jr.

Agosto:
-

Invisível - Andrea Cremer e David Levithan

Garota de domingo - Leticia Black
Sonho perigoso - Margaret Stohl e Kami Garcia

Quatro - Veronica Roth
Esta é uma história de amor - Jessica Thompson
Princesa adormecida - Paula Pimenta

Menino Narigudo - Walcyr Carrasco
Minha vez de brilhar - Erin E. Moulton
Onde a lua não está - Nathan Filer
O presente do meu grande amor - org. por Stephanie Perkins

Vocês leram muitos livros esse ano? Conseguem se lembrar? Eu anotei, hehe. Espero que 2015 venha com muitas leituras novas e com muitas novidades! Beijocas!
LEIA MAIS... »

Arqueiro

[Resenha] A Estrada da Noite

terça-feira, dezembro 23, 2014

A Estrada da Noite, de Joe Hill, publicado pela Arqueiro, com 256 páginas.


"Mas contra o que ia atirar? Pelo que entendia, o fastasma existia, antes de mais nada, dentro de sua cabeça. Talvez fantasmas sempre assombrassem mentes, não lugares. Se quisesse dar um tiro nele, teria de virar o cano contra sua própria testa."



Uma lenda do rock pesado, o cinquentão Judas Coyne coleciona objetos macabros: um livro de receitas para canibais, um laço usado num enforcamento, uma fita com cenas reais de assassinato. Por isso, quando fica sabendo de um estranho leilão na internet, ele não pensa duas vezes antes de fazer uma oferta. 

Por 1.000 dólares, o roqueiro se torna o feliz proprietário do paletó de um morto, supostamente assombrado pelo espírito do antigo dono. Sempre às voltas com seus próprios fantasmas o pai violento, as mulheres que usou e descartou, os colegas de banda que traiu, Jude não tem medo de encarar mais um.
Mas tudo muda quando o paletó finalmente é entregue na sua casa, numa caixa preta em forma de coração. Desta vez, não se trata de uma curiosidade inofensiva nem de um fantasma imaginário. Sua presença é real e ameaçadora.
O espírito parece estar em todos os lugares, à espreita, balançando na mão cadavérica uma lâmina reluzente verdadeira sentença de morte. O roqueiro logo descobre que o fantasma não entrou na sua vida por acaso e só sairá dela depois de se vingar. O morto é Craddock McDermott, o padrasto de uma fã que cometeu suicídio depois de ser abandonada por Jude.
Numa corrida desesperada para salvar sua vida, Jude faz as malas e cai na estrada com sua jovem namorada gótica. Durante a perseguição implacável do fantasma, o astro do rock é obrigado a enfrentar seu passado em busca de uma saída para o futuro. As verdadeiras motivações de vivos e mortos vão se revelando pouco a pouco em A estrada da noite e nada é exatamente o que parece.




Cara, isso sim é um livro de terror/suspense dos bons! Quer dizer, eu só fiquei com medo no início do livro e... é isso. Não sei se eu me acostumei com a narrativa e as aparições repentinas do morto (se tivessem aviso prévio não seria do gênero terror), mas no decorrer da leitura eu fui perdendo o medo e me concentrando mais nas histórias do passado dos protagonistas, que eu achei super bem escritas. Mas também pode ter sido porque o autor quis mesmo dar uma diminuída nos sustos pra dar uma atenção maior à construção dos personagens... Não sei.
Quando eu comecei a ler, não imaginava que a história seria tão perturbadora. Sim, tem um fantasma que assombra um cara que coleciona coisas sinistras, mas os fatos que levaram à tal ponto são simplesmente chocantes. Não dá pra falar aqui sem dar spoiler, mas é tipo assim: no início você tem uma certa visão da situação, mas depois que alguns fatos começam a ser revelados tudo muda de figura. Eu nunca iria imaginar uma coisa dessas, achei que a história seria só assombração do início ao fim, mas eu estava enganada.
Além disso, achei sensacional a forma como Joe Hill conseguiu fazer com que eu mergulhasse no mundo caótico de Jude e acompanhasse atenta sua jornada em direção ao passado e a seus medos. Algumas partes fizeram com que eu ficasse com vontade de largar o livro num canto, de tanta angústia e aflição que eu sentia, mas tudo bem. Como eu disse, a história é perturbadora, mas isso também não impede de que hajam acontecimentos que façam o leitor chorar, principalmente se for um bem sentimental, assim como eu. - Quem já leu deve saber à que estou me referindo.
A construção do livro é fantástica, o final é fantástico, é tudo fantástico. A única crítica que eu devo fazer é sobre o título em português que, apesar de ter tudo a ver com a história, eu acho que seria melhor o título original, que é Heart-Shaped Box. (Em inglês mesmo, porque seria muito estranho um livro de terror se chamar Caixa em forma de coração, que é a tradução.) Mas é só uma opinião mesmo.
Sendo assim, indico A Estrada da Noite para todos os amantes de histórias de suspense com um quê de drama, e também para todos que estão em busca de uma leitura enérgica e cheia de surpresas.

P.S.: Quando fui pesquisar se o livro teria uma adaptação cinematográfica, vi uma notícia de que sim, teria. Fiquei animada com a ideia, porque daria um ótimo filme. Mas vi que a tal notícia era de 2009, então não sei mais se vai ter uma adaptação ou não. Espero que sim! Se alguém souber, me fale.

Até a próxima, leitores! Beijinhos
LEIA MAIS... »

Maria

Top 5: Personagens que levaria comigo para uma ilha deserta

sexta-feira, dezembro 19, 2014

Olá, leitores! Hoje vou fazer um top 5, que eu vi no blog da nossa parceira Livros e Chantilly. Bem, o nome já diz tudo, então vamos lá:

1.
Personagem: Katniss Everdeen
Série: Jogos Vorazes

Não querendo copiar a primeira posição do top da Renata, mas já copiando... A Katniss é uma guerreira, consegue sobreviver dias em um lugar isolado apenas com seu arco e flecha. Isso porque ela ficou órfã de pai muito cedo e, com isso, precisou começar a caçar na floresta para sustentar sua família. É uma pessoa madura e inteligente.

2. 
Personagem: Finnick Odair
Série: Jogos Vorazes

Ah, o Finnick... Meu amor pra vida toda nasceu no distrito 4, da pesca, e desde muito pequeno aprendeu a manusear um tridente. Seria útil numa ilha deserta porque, com ele, eu não passaria fome e não ficaria desprotegida um segundo sequer.

3.
Personagem: Susana Pevensie
Série: Nárnia

A Susana me lembra a Katniss. Por que será, né?
Sendo uma garota esperta, Susana já participou de batalhas e é uma das rainhas de Nárnia. É boa com o arco e flecha, também, além de estar sempre pronta pra defender aqueles que ama.

4.
Personagem: Annabeth Chase
Série: Percy Jackson

Annabeth, além de ter um boné da invisibilidade, seria uma ótima pessoa pra te ajudar com tudo o que precisasse. Sendo filha de Atena, a deusa da sabedoria e da guerra, tem uma inteligência fora do normal e é uma estrategista das boas.

5.
Personagem/Série: Percy Jackson

Hahaha, o "cabeça de alga" não poderia ficar de fora dessa lista!
Percy, com seu jeito atrapalhado, me divertiria muito em uma ilha deserta, e se eu quisesse sair dela era só pegar uma carona com ele em alguma onda que surgisse.

E então, o que acharam?
Façam esse top 5 também, se quiserem. Achei super criativo!
Por hoje é só! Beijos, e até a próxima
LEIA MAIS... »

Natália

[Resenha] Quatro - Histórias da Série Divergente

quarta-feira, dezembro 17, 2014

Quatro, de Veronica Roth, publicado pela editora Rocco Jovens Leitores, com 271  páginas.

 
"Quero carregar algo que me lembre de que, embora as feridas cicatrizem, elas não somem pra sempre. Eu as carrego para todo lugar a que vou, sempre, e é assim que as coisas são, assim que as cicatrizes são."


Era para essa resenha ter saído ontem, mas minhas compras da Black Friday chegaram, aí eu larguei tudo e fui recebê-los, hehe.
Bom, vamos lá! Quatro, pra quem não sabe, é um livro "extra" da trilogia Divergente que é narrado por um outro personagem - como um spin off (o que eu acho que é). Eu amei tanto esse livro que, para ser sincera, eu não sei como resenhar, mas eu prometi para uma parceria nossa e então eu tenho que cumprir...
O livro traz quatro contos narrados pelo nosso maravilhoso e digníssimo Tobias Eaton, também conhecido como Quatro: "A Transferência", "A Iniciação", "O Filho" e "O Traidor". Diferente do que muitos pensam, ele não conta a história de Divergente pela vista do Tobias, mas sim a vida dele antes de ser um treinador da Audácia, antes mesmo de se tornar da Audácia - ou seja, antes da história de Divergente. Mas não se engane: não leia esse livro sem ter lido os outros três antes porque há spoilers (obviamente).
A Veronica Roth começa o livro contando que quando ela pensou em escrever a história de Divergente, ela começou a escrever pela perspectiva de Tobias... Ou seja, esses contos são os "rascunhos" da maravilhosa distopia que nós temos hoje.
Uma coisa que me deixou chateada, é que são só contos, sabe?, quando poderia ser uma história inteira!! A Roth é incrível e ao mesmo tempo uma chata! Ela tem uma escrita tão maravilhosa e eletrizante, e aí ela resolve escrever um livro mais fino que os outros só pra gente ficar com gostinho de quero-mais </3 Mas okay, tudo bem, melhor isso do que nada, certo?
Apesar de serem contos curtos, são p-e-r-f-e-i-t-o-s, tudo na medida certa, tudo bem emotivo e bem impactante. Tudo faz sentido, tudo complementa coisas lidas nos outros três livros e aí você vai lendo e lendo e não consegue parar e quando termina simplesmente... uau! 
Além dos quatro contos, há também três "cenas exclusivas" que mostram o lado de Tobias em alguns momentos da trilogia. 
Acho que isso é tudo o que tenho pra falar, espero que tenham gostado, que eu tenha ajudado em alguma coisa, matado a curiosidade de vocês ou sei lá. Recomendo à vocês que leiam o quanto antes, porque é realmente MUITO bom!

Mais sobre a trilogia:
LEIA MAIS... »

Aleph

{Especial} Compras da Black Friday (Maria)

quinta-feira, dezembro 11, 2014


Olá, galera! Bem, eu estava sem ideia do que postar hoje, então resolvi mostrar os livros que comprei na black friday desse ano, que chegaram hoje. Ao todo foram sete, e uns eu queria comprar há muuuuuito tempo, então estou mega feliz! Olhem só:

Laranja Mecânica, de Anthony Burgess.
Um amigo meu me falou desse livro e desde então eu sempre penso em comprá-lo. Porémmm eu estava mais afim da edição comemorativa, de capa dura, mas pensei melhor e comprei a normal (a da foto), por ser menor, mais bonita e com menos frescura, hehe.
Sinopse: Narrada pelo protagonista, o adolescente Alex, esta brilhante e perturbadora história cria uma sociedade futurista em que a violência atinge proporções gigantescas e provoca uma reposta igualmente agressiva de um governo totalitário. A estranha linguagem utilizada por Alex - soberbamente engendrada pelo autor - empresta uma dimensão quase lírica ao texto. Ao lado de 1984, de George Orwell, e Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley, Laranja Mecânica é um dos ícones literários da alienação pós-industrial que caracterizou o século XX. Adaptado com maestria para o cinema em 1972 por Stanley Kubrick, é uma obra marcante: depois da sua leitura, você jamais será o mesmo.

A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista, de Jennifer E. Smith. (resenha aqui)
A Natália sempre falou muito bem desse livro, e eu sempre tive vontade de ter ele na minha estante. Além da história parecer encantadora, a capa é maravilhosamente linda. Dizem que o único defeito dessa obra é ela ser pequena demais...
Sinopse: Com uma certa atmosfera de Um dia, mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.

Memórias de um Amigo Imaginário, de Matthew Dicks.
Coloquei esse livro em primeiro lugar da minha wishlist (e isso foi em abril!). Uma (várias, na verdade) vez fui na livraria perguntar por ele mas, infelizmente, o único exemplar disponível estava em uma estante isolada das outras, um pouquinho sujo, e acabei saindo de lá de mãos vazias... Mas agora tenho um pra chamar de meu!
Sinopse: "Enquanto Max acreditar em mim, eu existo. Posso precisar da imaginação do Max para existir, mas tenho os meus pensamentos, as minhas ideias e a minha vida, tudo isso separado dele. Max não gosta de gente da mesma forma que as outras crianças gostam. Ele gosta das pessoas, mas bem de longe. Quanto mais afastado alguém ficar de Max, mais ele vai gostar dessa pessoa."
Uma história apaixonante e dramática sobre amor, lealdade e sobre o poder da imaginação. Perfeita para qualquer um que já tenha tido um grande amigo - real ou não...

A Garota que Você Deixou para Trás, de Jojo Moyes.
Esse livro também estava na wishlist de que falei anteriormente, e isso porque me apaixonei perdidamente pela Jojo Moyes depois de ter lido Como eu era antes de você. Finalmente, também, o comprei!
Sinopse: Durante a Primeira Guerra Mundial, o jovem pintor francês Édouard Lefèvre é obrigado a se separar de sua esposa, Sophie, para lutar. Vivendo com os irmãos e os sobrinhos em sua pequena cidade natal, agora ocupada pelos soldados alemães, Sophie apega-se às lembranças do marido admirando um retrato seu pintado por Édouard. Quando o quadro chama a atenção do novo comandante alemão, Sophie arrisca tudo: a família, a reputação e a vida na esperança de rever Édouard, agora prisioneiro de guerra.
Quase um século depois, na Londres dos anos 2000, a jovem viúva Liv Halston mora sozinha numa moderna casa com paredes de vidro. Ocupando lugar de destaque, um retrato de uma bela jovem, presente do seu marido pouco antes de sua morte prematura, a mantém ligada ao passado. Quando Liv finalmente parece disposta a voltar à vida, um encontro inesperado vai revelar o verdadeiro valor daquela pintura e sua tumultuada trajetória. Ao mergulhar na história da garota do quadro, Liv vê, mais uma vez, sua própria vida virar de cabeça para baixo.
Tecido com habilidade, A garota que você deixou para trás alterna momentos tristes e alegres, sem descuidar dos meandros das grandes histórias de amor e da delicadeza dos finais felizes.


A Última Carta de Amor, de Jojo Moyes.
Eu não ia comprar esse livro. Não mesmo. Mas, como eu já disse, me apaixonei pela Jojo Moyes e decidi ter todas as obras dela (em português, claro) na minha prateleira. Daí comprei, hehe!
Sinopse: Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. Por mais que todos à sua volta pareçam atenciosos e amáveis, Jennifer sente que alguma coisa está faltando. É então que ela descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por 'B', e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com seu amante.
Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalha. Obcecada pela ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido em parte por estar ela mesma envolvida com um homem casado, Ellie começa a procurar por B, e nem desconfia que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução para os problemas de seu próprio relacionamento.

A Vida do Livreiro A. J. Fikry, de Gabrielle Zevin.
Quase escrevi "A vida do livreiro, de A. J. Fikry", mas tudo bem.
Minhas compras da BF foram feitas pelo submarino, e antes de fechar o pedido eu olhei todos os livros que estavam com desconto. Com isso, acabei comprando dois que eu nunca pensei em adquirir: esse em questão e O Segredo de Jasper Jones, abaixo. Bem... Não preciso dizer mais nada, né? A própria capa e o título (juntamente com o preço: R$9,90) já explicam porque eu o comprei.
Sinopse: Livrarias atraem o tipo certo de gente.
É o que descobre A. J. Fikry, dono de uma pequena livraria em Alice Island. O slogan da sua loja é "Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo". Apesar disso, A. J. se sente sozinho, tudo em sua vida parece ter dado errado. Até que um pacote misterioso aparece na livraria. A entrega inesperada faz A. J. Fikry rever seus objetivos e se perguntar se é possível começar de novo. Aos poucos, A. J. reencontra a felicidade e sua livraria volta a alegrar a pequena Alice Island.
Um romance engraçado, delicado e comovente, que lembra a todos por que adoramos ler e por que nos apaixonamos.

O Segredo de Jasper Jones, de Craig Silvey.
Esse livro custou apenas R$4,00, e os comentários e resenhas positivas que li dele me fizeram ficar com uma vontade imensa de lê-lo. Pensei também em não comprá-lo, mas meu coração de leitora falou mais alto.
Sinopse: Numa noite, durante o intenso verão de 1965, Charlie Bucktin é acordado pela visita de Jasper Jones, o pária da pequena cidade de Corrigan, na Austrália. Seduzido pela rebeldia de Jasper, Charlie o acompanha e acaba descobrindo um crime. O segredo, compartilhado entre dois garotos tão diferentes, desperta em Charlie um turbilhão de dúvidas a respeito dos conceitos de verdade e mentira. Neste romance de crescimento, o menino franzino de 13 anos, leitor voraz, reflete sobre os acontecimentos por meio de referências a clássicos do gênero.

Bem, foram esses!
E vocês, adquiriram muitos livros na black friday? Espero que sim!
Beijocas, até.
LEIA MAIS... »

Natália

[Resenha] Esta é uma História de Amor

quarta-feira, dezembro 10, 2014

Esta é uma História de Amor, de Jessica Thompson, publicado pela editora Novo Conceito, com  398 páginas.


 "Porque a verdade é que aquilo é amor, e não importa se você perder tudo. Seu emprego. Sua casa. Seu carro. Não, desde que você tenha essa pessoa ao seu lado."


Perguntei no Instagram qual dos três livros que eu li em novembro queriam que eu resenhasse, e o escolhido foi esse, então vamos lá!
Esta é uma história de amor conta sobre uma garota insegura que se apaixona a primeira vista por um cara no metrô, e sobre um cara que não quer nada sério mas se apaixona por uma garota no metrô. E logo depois disso, quando eles acham que nunca mais vão se ver, descobrem que trabalham na mesma empresa... E é assim que começa a história entre Sienna e Nick.
O livro se passa em cinco anos, onde começa com eles se apaixonando no metrô, virando amigos, e não admitindo isso por acharem que o outro o vê só como amigo. Isso me irritou muito! Os dois se amam, mas nenhum admite por medo de não ser correspondido! Porém, isso deixa a história talvez mais... fofa.
Narrada em primeira pessoa, ora pela Sienna, ora pelo Nick, a história mostra bem isso, de sofrer por amar alguém e não saber o que a pessoa sente o mesmo, mas mesmo assim não "desistir" dessa pessoa, continuar amigo e coisas assim.
Honestamente, eu adorei o livro. Amei pra falar a verdade. Não sei muito o que falar sobre esse livro, porque toda história de amor é meia clichê, mas essa aqui vale a pena! Recomendo a todos vocês que sentem vontade de ler esse livro e ainda não compraram, porque é lindo <3
LEIA MAIS... »

Globo Livros

[Resenha] O Assassinato de Roger Ackroyd

quinta-feira, dezembro 04, 2014

O assassinato de Roger Ackroyd, de Agatha Christie, publicado pela Globo Livros, com 306 páginas.




Uma misteriosa sequência de três crimes. Uma velha senhora desconfiada. Um famoso detetive belga de férias, procurando alguma emoção. Este é o ponto de partida de O Assassinato de Roger Ackroyd, um dos mais famosos romances policiais de Agatha Christie.
Em uma noite de setembro, o milionário Roger Ackroyd é encontrado morto, esfaqueado com uma adaga tunisiana,– objeto raro de sua coleção particular – no quarto da mansão Fernly Park na pacata vila de King'’s Abbott. A morte do fidalgo industrial é a terceira de uma misteriosa sequência de crimes iniciada pela de Ashley Ferrars, que pode ter sido causada ou por uma ingestão acidental de soníferos ou envenenamento articulado por sua esposa. Esta, aliás, é a segunda desta sequência de mortes. Um provável suicídio. 
Os três crimes em série chamam a atenção da velha Caroline Sheppard, irmã do Dr. Sheppard, médico da cidade e narrador da história. Suspeitando de que haja uma relação entre as mortes, dada a proximidade de Miss Ferrars com o também viúvo Roger Ackroyd, Caroline pede a ajuda do então aposentado detetive belga Hercule Poirot, que passava suas merecidas férias na vila.
Ameaças, chantagens, vícios, heranças, obsessões amorosas e uma carta reveladora deixada por Miss Ferrars compõe o cenário desta surpreendente trama, cujo transcorrer elenca novos suspeitos a todo instante, exigindo a habitual perspicácia do detetive Poirot em seu retorno ao mundo das investigações.


Vou começar a resenha dizendo uma frase bem clichê pra quem já leu algum livro da Agatha Christie:
QUE FINAL SURPREENDENTE!!!

Não posso dizer, como sempre, o porquê de eu achar tal livro da Rainha do Crime maravilhoso porque senão eu teria que falar quem é o assassino, etc, e isso logicamente não faria com que vocês lessem o livro, e eu quero que vocês o leiam!

Meu livro preferido da autora (embora todos sejam incríveis) até aqui era Assassinato no Expresso do Oriente, mas devo dizer que esse se superou. Durante a leitura eu realmente duvidei do fato dessa obra ser considerada um clássico, porque pra mim tudo parecia muito simples: a narrativa, os suspeitos, a morte... Mas adivinhem? Me enganei. Quando eu cheguei no final, aquele momento em que o detetive, nesse caso o Poirot, começa a ordenar os fatos e depois revela a identidade do assassino, eu já comecei a ficar nervosa. Nervosa porque ele disse um detalhe, um detalhe pequeno e ao mesmo tempo tão fácil de se ver, que eu tinha reparado. E o que me deixou mais nervosa foi que eu não liguei os pontos! Tudo tão simples! Mas a Agatha é inteligente, e o desfecho de seus livros sempre irá surpreender os leitores. Sempre.
Além disso, O Assassinato de Roger Ackroyd é o único título da autora a constar na lista dos 100 melhores livros do século XX do Le Monde que, apesar de não ser a lista oficial, mostra que a obra é considerada uma das melhores da Rainha do Crime.
Portanto, depois de tanto blábláblá, espero sinceramente que vocês leiam esse livro. Não busquem muito sobre ele, porque podem acabar encontrando spoilers, e isso acabaria com a graça da história. Mas comprem, leiam, se surpreendam e se tornem grandes fãs da Agatha Christie (se é que já não são), assim como eu. Vale muito a pena.
Não só a pena.
Vale a galinha inteira! (Rá.)
LEIA MAIS... »

Galera Record

#Livros do Mês! - Novembro

terça-feira, dezembro 02, 2014

Eba! Mais um mês acabou, já estamos finalmente em Dezembro! Época do Natal, férias, muitos presentes, muitos livros, muitas leituras, uhuul!
Em Novembro, apesar de tudo o que aconteceu, consegui ler três livros! Desses três, dois deles eu tinha começado a ler em Outubro, e tive que parar por causa da agenda apertadinha :(



Quatro - Veronica Roth (4 estrelas)


Reunindo quatro histórias da série Divergente contadas da perspectiva do personagem Tobias Quatro, e três cenas exclusivas, a coletânea 'Quatro – Histórias da série Divergente' oferece aos fãs da saga criada por Veronica Roth a chance de conhecer melhor a personalidade de um personagem fascinante e complexo, além de mergulhar mais fundo na sociedade dividida em facções criada pela autora.









Esta é Uma História de Amor - Jessica Thompson (4 estrelas)


Um rapaz conhece uma menina e a menina se apaixona pelo rapaz – até aí, nenhuma novidade. Mas, com Sienna e Nick, as coisas não acontecem do jeito que costumam acontecer. Nick jurou a si mesmo que nunca mais namoraria uma colega de trabalho. Agora ele anda meio apaixonado por uma garota que conheceu no metrô... Desta vez pode ser que dê certo. Mas ela tinha que arranjar um emprego no mesmo jornal em que ele trabalha? Todos dizem que Sienna é uma graça, mas ela tem mil inseguranças. Descobrir, porém, que o gato do metrô trabalha na mesma empresa foi um balde de água fria. É óbvio que Sienna e Nick sentem uma atração irresistível desde a primeira vez em que se veem... Mas eles nunca vão admitir. Ela é frágil... Tem tantos segredos. E ele não está a fim de nada sério. Durante cinco anos, eles se envolvem com outras pessoas, até que...



Princesa Adormecida - Paula Pimenta (4 estrelas)

Era uma vez uma princesa... Você já deve ter ouvido essa introdução algumas vezes, nas histórias que amava quando criança. Mas esta princesa sou eu. Quer dizer, é assim que eu fiquei conhecida. Só que minha vida não é nada romântica como são os contos de fada. Muito pelo contrário. Reinos distantes? Linhagem real? Sequestro? Uma bruxa vingativa? Para mim isso tudo só existia nos livros. Meu cotidiano era normal. Tá, quase normal. Vivia com meus (superprotetores) tios, era boa aluna, tinha grandes amigas. Até que de uma hora pra outra, tudo mudou. Imagina acordar um dia e descobrir que o mundo que você achava que era real, nada mais é do que um sonho. E se todas as pessoas que você conheceu na vida simplesmente fossem uma invenção e, ao despertar, percebesse que não sabe onde mora, que nunca viu quem está do seu lado, e, especialmente, que não tem a menor ideia de onde foi parar o amor da sua vida.


Esses foram meus livros do mês. Vocês leram bastante? Espero que sim!! Beijocas!
LEIA MAIS... »