[Resenha] A Livraria Mágica de Paris

sábado, janeiro 28, 2017

Título: A Livraria Mágica de Paris
Título Original: Das Lavendelzimmer 
Autora: Nina George
Editora: Galera Record
Ano: 2016
Páginas: 308
Nota: 
“Ler é uma viagem sem fim. Uma viagem longa, até mesmo eterna, na qual nos tornamos mais brandos, mais carinhosos e mais humanos".
   Quando a editora Galera Record mandou os livros disponíveis para parceria, vi esse na lista e não me interessei. Pedi um outro livro que acabou não vindo, e no lugar veio "A Livraria Mágica de Paris". Não me importei. Li o livro como se fosse o que eu tinha pedido, e nem reclamei da troca.
   Não sei se foi meu receio de ler ele desde o início ou se foi culpa do livro "A Improvável Jornada de Harold Fry" (escrito por Rachel Joyce), um livro chato ao meu ver e de onde imagino que a Nina George tenha tirado inspiração, que fez eu detestar a leitura de "A Livraria Mágica de Paris".

   Jean Perdu é um senhor de 50 anos que mora em Paris e vive amargurado porque o amor da sua vida foi embora sem se despedir, deixando somente uma carta - que ele nunca leu, mesmo depois de 21 anos de abandono. Apesar da tristeza do abandono, ele sempre foi gentil com todos a sua volta, conhecidos ou não. Ele tinha uma biblioteca dentro de um barco chamada "Farmácia Literária", onde ele vendia livros como se fossem remédios.
   Quando uma vizinha nova se muda para seu prédio com as mãos abanando, ele resolve doar uma mesa para ela. Catherine, a vizinha nova, encontra na gaveta da mesa uma carta. A carta que Manon escreveu para Perdu e ele nunca leu. Perdu resolve então abrir e ler a carta, e o que ele leu o fez abandonar tudo, subir em seu barco, e navegar o rio que corta a França a procura de respostas e quem sabe, o amor da sua vida.

   Quem lê essa história e lê o livro "A Improvável Jornada de Harold Fry" percebe bem as semelhanças. Dois senhores atravessam cada um seu país, um a pé e outro de barco, em busca de uma mulher que já gostou. Quando li a história de Harold Fry, eu detestei. E quando "A Livraria Mágica de Paris" chegou em casa, eu não imaginava que seria praticamente a mesma história, se soubesse, tinha entrado em contato com a editora pra fazer a troca e evitar ler mais um livro que eu não iria gostar.
   O livro não é tão comprido, somente 290 páginas até o fim da história, e depois se segue extras legais:  indicações de livros e receitas de pratos franceses. Porém, nessas 290 páginas acontece tanta coisa que parece que o livro tem mil páginas! O resumo mais simplificado do livro é simples: Perdu atravessa a França de norte a sul em um barco em busca de Manon. O complicado é que em cada cidade que eles param, se segue looooongas histórias sem necessidade. Alguns fatos são sim, importantes para a história. Outros fatos são só mero capricho, para mostrar como foi a viagem e talvez, para nos mostrar como demorou e para dar ênfase ao barco-livraria de Perdu, mostrando como os livros são importantes (quando pessoas trocam tudo por livros). Eu, particularmente, não gostei muito dessas delongas.
   Apesar dessa enrolação, a história não é tão ruim. É uma história meia cansativa e um pouco confusa, porém é bonito ver um senhor de 50 anos tentando reparar seu erro de 21 anos atrás, chega a ser inspirador.
   Uma coisa que achei bem interessante é que o nome original do livro, "Das Lavendelzimmer", em alemão, significa "o quarto lavanda", que é o nome que Manon usava para se referir a um dos quartos da casa de Perdu. Com essa observação, podemos ver que o livro é tão mais focado no barco do que na história de amor que a editora preferiu dar o nome ao livro de "A Livraria Mágica de Paris" do que "O Quarto Lavanda".

   Enfim, essa é minha opinião a respeito do livro. Você já leu ou gostaria de ler? Se leu, você gostou?Deixe sua resposta nos comentários, ela é importante para nós! Beijos e até a próxima!

You Might Also Like

7 carinhos.

  1. Oi Natália,
    Esse livro me interessa. Pela capa e sinopse.
    Agora, essa questão de enrolação... Já fico com o pé atrás.
    Estou em uma boa fase de leitura, não quero ficar parada em um livro lento, entende?
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Natália!

    Eu estou encantada pela capa e pelo enredo, que pena que a história é um pouco confusa, mas quero ler depois pra conferir.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    O livro parece ser bem legal e sendo curtinho é bem rápido de ler, já anotei na minha listinha!
    Beijos
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br
    Vídeo novo: https://www.youtube.com/watch?v=oNLRydumMWs&t=1s

    ResponderExcluir
  4. A capa é tão linda... Mas enrolação não é pra mim não, não dá kkk
    Farmácia literária, que máximo! *-*
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, Nat!
    Que saudades de passar por aqui também <3
    Que bom que, apesar da troca, o livro foi bom pra você. Eu não sei se leria... Pelo que vi não faz muito meu estilo
    Beijos
    Balaio de Babados
    Promoção Quatro Anos de Minhas Escrituras

    ResponderExcluir
  6. Oi, Natália! Tudo bem? Não gosto de enrolação, muito menos de histórias cansativas e confusas. Por isso dispensaria essa leitura. Mas adorei a resenha! <3

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Natália,
    Uma pena a leitura não ter sido boa.
    Não sou fã de enrolação, só por isso já fiquei com um pé atrás.
    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir

Deixe um comentário, ele é importante pra nós. Mas primeiro, leia o post, por favor!

Obrigada!